Prevenção de comportamentos aditivos e dependências no “Elvas + Solidária”

SandraCortesA prevenção de comportamentos aditivos e dependências, é uma das grandes preocupações e apostas do CRI, Centro De Respostas Integradas, de Elvas.

Sandra Cortes, assistente social no CRI de Elvas, explica que “a prevenção deste tipo de comportamentos é antecipar o problema que daí pode resultar, promovendo estilos de vida saudáveis e o desenvolvimento de atitudes, valores e comportamentos que capacitem os jovens de competências para enfrentar os riscos a que possam vir a ser expostos”.

Uma das formas de prevenir é “gerar ambientes educativos saudáveis, com intervenções adequadas a cada nível de ensino, de forma continua e gradual, de forma a fornecer ferramentas e competências para lidar com exigências e obstáculos que surgem ao logo da vida”. Mas para isso ser possível, explica Sandra, “é necessário reconhecer que a problemática de comportamentos aditivos existe, e que trazem consequências ao desenvolvimento da vida dos jovens, entre pessoais, profissionais, familiares, sociais, económicos, entre outros”.

Neste sentido, a prevenção atua a vários níveis: “prevenção universal, que é dirigida à população em geral, sem ter análise prévia do grau de risco, que tem como objetivo o desenvolvimento de competências pessoais e sociais, e não esta direcionada a nenhum grupo em específico, nem há avaliação prévia, porque todos estamos em risco de adotar comportamentos aditivos”.

Há também a prevenção seletiva, “orientada para subgrupos da população com características especificas e identificadas como risco de consumo de substâncias psicoativas e comportamentos aditivos; outro dos tipos de prevenção é a prevenção indicada, “direcionada para indivíduos com comportamentos de risco já identificados que exibem sinais de uso de substâncias psicoativas e de outro comportamento aditivos”. Já a prevenção ambiental, “intervém na comunidade e sistemas sociais, com foco nas normas sociais, alteração de ambientes culturais, sociais, físicos e económicos que influenciam as escolhas do uso, por parte dos indivíduos, de substâncias psicoativas ou outro tipo de comportamento”.

A prevenção tem assim como principal objetivo “diminuir os fatores de risco, como biológicos psicológicos e sociais, que são internos e externos aos indivíduos e aumentar os fatores de proteção”, por isso, refere Sandra Cortes, “é muito importante os fatores de proteção para diminuir aqueles comportamentos que possam advir ao longo da vida dos jovens e de toda a população”.

A importância da prevenção ao nível dos comportamentos aditivos e dependência é o tema desta semana do programa “Elvas mais solidária”, que pode ouvir na emissão ao meio dia e meia e às 16.30 horas.