Évora: pandemia obriga empresas a reajustar quadros de pessoal

Rui EspadaCerca de 32 por cento dos empregadores portugueses, segundo um estudo da Manpower Group, não conta retomar os níveis de contratação, que se verificavam no período pré-pandemia, sendo Portugal um dos países de toda a Europa que revela menos otimismo em relação à possibilidade de recuperar estes valores de contratação em menos de um ano.

De acordo com o presidente do Núcleo Empresarial da Região de Évora (NERE), Rui Espada (na foto), a economia da região “vai passar um mau bocado”, perante um novo confinamento, assegurando que há empresas que estão a pensar em reajustar, de novo, os seus quadros de pessoal.

“Houve incentivos, que vinculavam a contratação de pessoas, e houve algumas contratações, e essas empresas não vão poder despedir dessas pessoas, se não vão entrar em rotura com os projetos aprovados”, revela ainda.

Cerca de dez por cento das empresas do distrito de Évora, explica ainda Rui Espada, não conseguiu manter-se, perante todas as restrições e consequências adjacentes à pandemia: uma percentagem que acredita que aumente nos próximos tempos. “As pessoas ainda estão a tentar recuperar da primeira vaga e agora voltamos a debatermo-nos com este confinamento”, revela.

Do ponto de vista social, ainda assim, defende o presidente do NERE, o confinamento “é a única forma que temos para tentar controlar a pandemia”. “O tecido empresarial vai sofrer, o país não pode parar, mas só assim se vai conseguir controlar melhor a pandemia”, remata.

A percentagem de empregadores que espera retomar a atividade antes da pandemia, no espaço de um ano, desceu para 29 por cento. Relativamente à contratação, 32 por cento dos empregadores portugueses não conta retomar os valores de contratação pré-pandemia.

Estes dados, apresentados recentemente, “foram recolhidos durante a segunda vaga da pandemia e não refletem ainda o impacto do anúncio do início da campanha de vacinação contra a Covid-19, que dá um novo alento às empresas”, revela a nota de imprensa da Manpower Group.