Escola de Biociências terá instalações no ex-Ciclo de Santa Luzia de Elvas

A Câmara Municipal de Elvas vai ceder, ao Instituto Politécnico de Portalegre (IPP), as instalações do antigo Ciclo de Santa Luzia, para que a Escola Superior de Biociências (ESBE), a antiga Agrária, possa continuar a crescer, em quantidade de alunos e de oferta formativa.

O protocolo entre as duas entidades foi já aprovado, tanto pelo município, como pelo IPP, sendo que, de acordo com o presidente Rondão Almeida, a intenção é que os cerca de “20 mil metros quadrados de pavilhões antigos” da escola de Santa Luzia, agora “ao abandono”, possam ser aproveitados pela ESBE.

“Neste momento, a ESBE tem mais de 400 alunos e as atuais instalações não conseguem dar resposta; aliás, algumas das áreas já são lecionadas no quartel onde funciona o Museu Militar”, diz o autarca.

Todo aquele espaço será requalificado pelo próprio IPP, que irá modernizar o pavilhão desportivo e construir salas de aulas e laboratórios: “tudo por conta do IPP, que irá recorrer ao programa 2030, para poder ter 80 ou 85% de apoio e o resto será pago pelo Politécnico, não pela Câmara”.

Por outro lado, o autarca explica que o pavilhão desportivo, depois de requalificado, virá a ser utilizado, não só pelos estudantes da futura licenciatura em Desporto da ESBE, como também pelas turmas de Educação Física do Ciclo de Santa Luzia.

Lembrando que, neste momento, a Câmara Municipal está a acabar de mobilar a nova residência de estudantes, no antigo Lagar dos Lopes, que considera que foi “um péssimo negócio feito no passado”, uma vez que o município tem a seu encargo “mais de um milhão de euros” de investimento, Rondão Almeida revela ainda que, no que toca a este protocolo com o IPP, vai-se conseguir ter mais espaço e, consequentemente, mais alunos a frequentar a ESBE.