Mocinha e a nova escola de Santa Luzia: “sinto orgulho em ver obra feita”

As obras de construção da nova escola da Escola Básica 2,3 de Santa Luzia, em Elvas, devem estar terminadas em maio ou junho. É essa a previsão do presidente da Câmara, Nuno Mocinha, adiantando que poderá faltar, por essa altura, apenas um ou outro pormenor.

O autarca adianta ainda que a via onde ficará a nova entrada da escola, na Estrada da Carvalha, será alargada, para que possa passar a ter estacionamento, incluindo para autocarros. “Uma via completamente iluminada e também com umas árvores novas, para lhe darmos alguma dignidade, como tem o resto da escola”, acrescenta Mocinha.

Quanto ao pavilhão antigo da escola, que irá ser colocado, mais tarde, “ao dispor da população”, Mocinha explica que será requalificado, algo que não deverá ser feito no que resta deste mandato. “Está-se a fazer o projeto, neste momento, para a requalificação desse pavilhão, porque agora todo aquele património é da Câmara Municipal: não só a escola nova, que a Câmara está a fazer com o apoio do Ministério da Educação e dos fundos comunitários, como o resto que lá fica”, assegura.

A nova escola tem 29 salas de aulas, para além de quatro laboratórios, podendo receber cerca de 620 alunos. O bloco principal vai contar ainda com dois pisos, salas de professores e serviços administrativos. O recinto escolar vai ter um pavilhão desportivo, um campo de jogos descoberto e a entrada e os principais trajetos com telheiros.

Mocinha não esconde que esta é a obra recente que mais o orgulha, tendo em conta o trabalho que exigiu e a forma como foram captados os fundos comunitários para a sua realização. “Quando decidimos fazer a obra, tínhamos um apoio de dois milhões de euros e a escola custa 7,7 milhões. Faltava muito dinheiro, mas a obra está quase a terminar. Até aqui temos conseguido sempre arranjar o dinheiro”, adianta, revelando que o valor do apoio dos fundos comunitários já vai em seis milhões de euros.

“Sinto um orgulho de ver obra feita, de termos conseguido, de termos sido arrojados na altura”, garante o presidente da Câmara de Elvas.

Quanto ao valor desembolsado pela Câmara Municipal de Elvas nesta obra, Mocinha revela que é preciso deixar a mesma chegar ao fim, uma vez que o valor dos fundos comunitários tem conhecido algumas alterações. Quando questionado sobre o facto de a oposição considerar que esta obra seria da responsabilidade do Ministério da Educação, e não da autarquia, Mocinha é perentório: se assim não fosse, não haveria escola nova.

A obra do novo ciclo de Santa Luzia, num investimento financeiro superior a oito milhões de euros, é um dos projetos de maior envergadura realizado, nas últimas décadas, no concelho de Elvas. A empreitada teve início em agosto de 2019, prevendo-se que a escola possa entrar em funcionamento já no próximo ano letivo.