Cuidados a ter com publicidade ao crédito em destaque na “Deco”

Helena-GuerraA publicidade ao crédito é cada vez mais comum, através de meios de comunicação e redes sociais, ou mensagens publicitárias sobre créditos.

A função da publicidade é informar sobre produtos e serviços induzindo as pessoas a adquiri-los. No entanto, e como explica Helena Guerra, do Gabinete de Projetos e Inovação da Deco, “a lei é clara e estabelece que a publicidade a serviços públicos e financeiros deve ser transparente, ou seja, não é permitida a omissão de informação necessária à correta avaliação das caraterísticas destacadas dos produtos e serviços financeiros, o que muitas vezes não acontece”.

Muitas vezes, “as informações relevantes aprecem em letras pequenas que não conseguimos ler e não pode ser omissa, ou seja o consumidor não deve aderir a um produto financeiro sem compreender o que está a ser anunciado”. Também muitas vezes, a publicidade provém de atividades pouco fidedignas. Torna-se por isso importante, “não abrir mensagens ou emails de empresas pouco fidedignas ou desconhecidas, nem aceder aos links, porque poderemos estar sujeitos a situações de grande gravidade, sendo que a finalidade não é credível”. Helena Guerra recomenda, “para além de não se dever abrir este tipo de mensagens, e muito menos responder”.

Helena Guerra alerta ainda para os cuidados a ter no acesso à conta bancária através de computadores, que não sejam os pessoais, por exemplo em locais públicos, porque “podemos ser vítimas de phishing, ou seja, roubo de dinheiro e dados, e por outro lado, nunca podemos vincular-nos sem compreender o conteúdo da mensagem”.

A publicidade ao crédito é o tema em destaque esta semana, no programa da Deco, para ouvir na emissão, ao meio-dia e meia e às 16.30 horas.