Calixto destaca qualidade de projeto europeu da CCDR Alentejo

josecalixtoO “Auroral” (Architecture for Unified Regional and Open digital ecosystems for Smart Communities and wider Rural Areas Large scale application), um projeto liderado, a nível europeu, pela Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional (CCDR) do Alentejo, já está em curso em quatro localidades alentejanas: entre elas São Pedro do Corval, em Reguengos de Monsaraz.

Através deste projeto, que tem aduração de quatro anos e que conta com um investimento de cerca e 16 milhões de euros, pretende-se que nove regiões rurais europeias, incluindo o Alentejo, tenham acesso à tecnologia e meios digitais semelhantes aos das regiões economicamente mais desenvolvidas.

Com este projeto, financiado pelo programa comunitário Horizonte 2020, prevê-se ainda que nos locais a ser aplicado, se registe um crescimento económico e de emprego, ajudando a reduzir as assimetrias no acesso digital entre as áreas urbanas e rurais.

De acordo com José Calixto, presidente da Câmara de Reguengos de Monsaraz, trata-se de um projeto “de grande dimensão”, apresentado ao programa Horizonte 2020, “que envolve cerca de 25 parceiros, em mais de uma dezena de países europeus, e tem o grande objetivo de transferir tecnologia de ponta para aplicações nas mais diversas áreas em comunidades de baixa densidade”.

“Foi uma grande vitória da representação do Alentejo, em Bruxelas. Nesta chamada do Horizonte 2020, foi o projeto europeu com melhor classificação”, revela ainda Calixto, adiantando que só para a gestão da CCDR Alentejo do projeto, o orçamento, para os quatro anos, é de 2.7 milhões de euros.

Em São Pedro do Corval, o projeto vai basear-se no aproveitamento da comunidade artística e na herança relacionada com o artesanato e a cerâmica.

Para além de São Pedro do Corval, foram integradas, neste projeto, as localidades de Arronches, Sines e Pias, no concelho de Serpa.

Em Arronches, será sobre o uso eficiente dos recursos públicos na mitigação das alterações climáticas que o projeto se baseará. Em Sines, o foco está no empreendedorismo digital e desenvolvimento de incubadoras e clusters tecnológicos. Já em Pias, o projeto tem por base o envelhecimento saudável e a qualidade de vida.