Lar Júlio Alcântara Botelho continua a testar funcionários

AlcantaraBotelhoCom o nosso país a atravessar uma segunda vaga da pandemia Covid-19, e com o número de casos a ultrapassar já os quatro mil contágios diários, sendo a maioria detetados em lares de idosos e centros de dia, a Rádio Campo Maior foi tentar perceber junto de algumas instituições quais as medidas que estão a ser adotadas.

No caso do Lar Júlio Alcântara Botelho em Elvas, e como explica Paulo Pires, funcionário do lar “foram adotadas medidas bastante restritivas, logo no início da pandemia e, que continuam em vigor, como é o caso de testarem todas as semanas 25% dos funcionários, consoante a variabilidade das escalas de horários, e até agora à data da melhor maneira e não tem havido nenhum caso”. Os funcionários trabalham, desde o início da pandemia, em espelho, ou seja seis dias seguidos, descansando outros seis.

Relativamente às visitas as mesmas são feitas, mas com o utente ao portão e o familiar do outro lado da rua, nunca presencial, porque “é um risco muito elevado” diz Paulo Pires, e “é uma forma de os utentes se sentirem confortáveis de ver os seus familiares de mais perto, uma vez que já há um desgaste muito grande neste sentido”.

O Lar Júlio Alcântara Botelho, em Elvas, tem um universo de 72 utentes e 49 funcionários.