Abetarda em Campo Maior é espécie ameaçada por perda de habitat

ABETARDA
Foto:wilder.pt

Segundo um artigo da National Geographic, as Zonas de Proteção Especial da Rede Natura 2000 em áreas agrícolas da Península Ibérica perderam mais de 35 mil hectares, o que ameaça várias espécies de aves.

A abetarda, a maior ave europeia, comum em Campo Maior é uma das espécies ameaçadas, o que para José Janela, da Quercus, “pode estar em perigo de extinção se as condições de ameaça não diminuírem”. Neste momento a principal ameaça é a “perda de habitat, nas estepes agrícolas, onde há cultivo de cereais e pastagens extensivas, que estão a ser transformados em olival intensivo e super intensivo, que devido à utilização de fertilizantes e pesticidas que são uma ameaça para esta espécie”.

Dos locais analisados, Campo Maior “não é aquele onde há uma maior ameaça, mas tem vindo a assistir-se a uma diminuição das aves que lá se encontram”.

José Janela explica ainda que “a Rede Natura 2000 é importante uma vez que a perda de habitat não é tao grande dentro desta rede, mas que a alteração das práticas agrícolas no olival intensivo tem levado a esta diminuição de biodiversidade”.

Em Portugal, as Zonas de Proteção Especial no Alentejo, situam-se, para além de Campo Maior, em Moura, Mourão, Barrancos, Castro Verde e Vale do Guadiana.

Este estudo foi levado a cabo pela Universidade de Lisboa, Universidade do Porto e Universidade de East Anglia, no Reino Unido, avaliou a eficácia da Rede Natura 2000 na conservação das estepes agrícolas por um período de dez anos.