Emigrantes que regressem ao interior recebem mais 600 euros

emigrante_malaNo âmbito do programa Regressar, que tem como objetivo promover e apoiar o regresso a Portugal dos emigrantes, bem como dos seus descendentes e outros familiares, 800 emigrantes já regressaram, sendo que 100 deles optaram pelo interior do país para viver.

Segundo o Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, desde que as candidaturas arrancaram, há cerca de um ano, o Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP) recebeu 1.400 candidaturas ao Programa Regressar, o que corresponde a mais de 3 mil pessoas abrangidas.

Os que optaram pelo interior do país, receberam um apoio suplementar de 25 por cento, num total de até 7.679 euros.

A maioria (65%) das candidaturas recebidas foram apresentadas por pessoas que saíram de Portugal entre 2011 e 2015.

Até 1 de março de 2021, está a decorrer o atual período de candidaturas a este programa, que sofreu algumas alterações em fevereiro, uma vez que foi alargado o universo de candidatos que passaram a ser elegíveis para apoio: além dos que têm contratos sem termo foram também abrangidos os que começam a trabalhar em Portugal com contratos a termo com duração inicial de pelo menos seis meses. Também os apoios financeiros foram aumentados uma vez que passaram de 6.582 euros de valor máximo de apoio para 7.021 euros.