“SOS Memória” da Alzheimer Maior adapta-se aos tempos de pandemia

IdososA Santa Casa da Misericórdia de Campo Maior tem em funcionamento o projeto “SOS Memória”, que conta com o apoio do BPI e da Fundação “La Caixa”.

Trata-se de um projeto que se destina “à intervenção em zonas rurais”, nos concelhos de Campo Maior e Arronches, na área das demências, sendo que, por esta altura, e devido à pandemia Covid-19, conhece algumas limitações.

De acordo com Rosália Guerra, do Gabinete Alzheimer Maior, da Santa Casa campomaiorense, o projeto visa “falar às comunidades sobre as questões da memória”. No caso de Arronches, por esta altura de pandemia, os técnicos do gabinete não se estão a deslocar às freguesias desse concelho, contudo, mantém contacto via telefone ou email, com as famílias que solicitam esse apoio.

“Há muita desinformação ainda e acreditamos que a literacia nas questões da saúde, e particularmente nestas questões cognitivas e até mesmo relacionadas com a doença mental, são de extrema importância e não podem haver tabus, nem preconceitos”, explica Rosália.

Ao todo, o projeto tem cerca de 250 beneficiários diretos, para além dos respetivos cuidadores. “É uma experiência muito interessante, estar junto das pessoas, e perceber de que forma é que, se falarmos sobre as questões da memória, também podemos adotar  estratégias que possam prevenir as demências”, assegura ainda Rosália Guerra.

A Santa Casa da Misericórdia de Campo Maior é uma de 22 instituições do país que foi premiada pelo BPI e a Fundação “La Caixa”, para o desenvolvimento de iniciativas de ações sociais em meios rurais para pessoas em situação de vulnerabilidade.