Publicação do Corredor Sudoeste Ibérico apresentada em Elvas

DSC_0381A mais recente publicação do Corredor Sudoeste Ibérico foi apresentada, na manhã desta sexta-feira, 10 de julho, no hotel Vila Galé de Elvas.

Para João Muacho, presidente da Câmara de Campo Maior, esta revista vem dar ênfase ao que de melhor há nos concelhos da região, sendo que no caso da vila campomaiorense, estão representados “os maiores ícones” da mesma: as Festas do Povo, a Delta Cafés e a Hutchinson.

Para Nuno Mocinha, presidente da Câmara de Elvas, nesta publicação chama-se a atenção para as necessidades, como é o caso das infraestruturas ferroviárias, numa estratégia de desenvolvimento conjunta, entre Portugal e Espanha. Mocinha assegura ainda que esta publicação é uma mais-valia para a região e para o país, ou não fossem identificados corredores a todos os níveis.

O Alcaide de Badajoz, Francisco Fragoso afirma que “a oportunidade é aproveitar as oportunidades e de forma conjunta, por isso, este corredor simboliza o desenvolvimento mútuo dos países ibéricos”. Assim, “é necessário valorizar o que temos em conjunto, como oportunidades a nível do património histórico, oportunidades industriais, e a agricultura, como tão importante que se assume, e só somando as produções podemos gerar uma potencia para competir no mundo, juntos daremos um valor acrescido que não seria possível em separado”.

Antonio García Salas, mentor da publicação afirma que “este corredor tem impacto universal, e é o que é pretendido transmitir, a vários níveis, através desta publicação; é um corredor que quer ter impacto a nível mundial”.

Presentes na sessão, para além dos presidentes de Câmara de Elvas, Campo Maior e Badajoz, estiveram ainda o de Olivença, para além de alguns representantes dos empresários da região.