Instituto Politécnico de Portalegre mantém aulas à distância

AlbanoSilvaApesar de o governo ter anunciado o regresso gradual de aulas presenciais no ensino superior, a partir deste mês, no Instituto Politécnico de Portalegre as aulas vão manter-se à distância.

A partir deste mês o IPP vai retomar apenas alguns serviços, os laboratórios de investigação e de prestação de serviços, e os alunos vão terminar o ano letivo através do ensino à distância, e apenas regressam em outubro para o próximo ano letivo”, explica Albano Silva presidente da instituição.

A partir de 15 junho em algumas unidades curriculares do curso de enfermagem, e em julho no curso de equinicultura, na ESAE os alunos terão apenas as aulas práticas e laboratoriais que são necessárias para terminar os cursos. Albano Silva explica ainda que “os restantes alunos terminam o ano letivo à distância, e eventualmente com alguma matéria que fica para o próximo ano letivo”, algo que não considera problemático, porque “mais problemático é fazer movimentar alunos de várias partes do país para a nossa região”.

Quanto ao método de avaliação, os exames para maiores de 23, como não têm o concurso nacional de acesso têm que fazer provas, entre 16 e 20 de junho e as mesmas vão ser mantidas com as condições sanitárias necessárias, com o distanciamento social necessário.

Para os alunos de licenciatura ou mestrado as avaliações deverão ser feitas à distância, e em alguns casos poderão ser feitas de forma presencial, em julho, no entanto esta situação irá depender do número de alunos inscritos, refere o presidente do IPP.

Se tudo correr bem, a partir do dia 15 de maio, Albano Silva afirma que “vamos abrir alguns laboratórios, como de química agrícola, na ESAE, uma vez que não envolve contacto e a técnica está sozinha a fazer as análises, também os laboratórios em Portalegre e a Incubadora de Base tecnológica”.

A partir desta data também, à partida, “serão abertas as escolas aos alunos que não têm condições para acompanhar o ensino à distância, porque têm dificuldades a nível informático e não têm equipamentos que lhes permitam acompanhar este tipo de ensino, nas são alunos da região”, afirma Albano.

Neste sentido perante esta abertura de laboratórios serão tomados todos os métodos de proteção individual, uma vez que o IPP produziu viseiras que irá utilizar, bem como todos os equipamentos de proteção, mas “esta é uma situação que pode ser alterada em função da evolução da pandemia, sendo esta uma integração cuidadosa e cautelosa”.

Albano Silva, presidente do IPP deseja ainda a todos muita saúde e diz “em breve, aos nossos, alunos dizer-lhes que anseio o dia de os abraçar, e espero fazer isso em breve, no início do ano letivo, iremos ter de certeza  uma grande festa de arranque de ano letivo”.