POAT aprova estudo de avaliação da sustentabilidade da Barragem do Pisão

pisaoA Comissão Diretiva do Programa Operacional de Assistência Técnica (POAT) 2020 aprovou, em reunião realizada hoje, terça-feira, dia 27, a candidatura apresentada pela CIMAA para a realização do “Estudo de Avaliação para a Sustentabilidade do Empreendimento Hidráulico do Crato – Barragem do Pisão”, referente ao projeto desta obra estruturante para o Alto Alentejo.

Em causa está um montante global de 1.300.000 euros, com uma comparticipação de 80%, ficando os municípios responsáveis pela componente nacional, no valor de 260 mil euros, investimento que será repartido igualmente entre os 15 municípios do território do Alto Alentejo.

A construção da barragem do Pisão “resultará numa capacidade de armazenamento de 114M m3 de água, considerada fundamental num quadro de alterações climáticas”, lê-se na memória descritiva da candidatura ao POAT. O empreendimento tem também “impacto na criação de reservas estratégicas de águas, como reforço e garantia do abastecimento público às populações, dando resposta aos constrangimentos e às fragilidades que têm as atuais origens de abastecimento”.

O projeto “prevê ainda a criação de uma disponibilidade hídrica para a agricultura, passível de abranger uma área de regadio de 12.000 ha nos concelhos de Alter do Chão, Avis, Crato, Fronteira e Sousel”.

Paralelamente, com o Empreendimento Hidráulico de Fins Múltiplos do Crato, “estar-se-á a prever que mais de 70% do consumo das necessidades elétricas do Distrito de Portalegre sejam satisfeitas por via da central fotovoltaica, o que vai contribuir para a gradual substituição dos sistemas de produção convencionais a carvão e outras fontes energéticas baseadas nos hidrocarbonetos”.

Todas estas valências podem contribuir para a criação de 500 postos de trabalho diretos.