“Vamos passar dificuldades”, alerta presidente dos Bombeiros de Campo Maior

João MonhoOs Bombeiros de Campo Maior, à semelhança do que acontece com os de Elvas (ver notícia aqui), também enfrentam dificuldades financeiras, tendo em conta a redução drástica dos transportes de doentes efetuados, principal fonte de rendimento para as corporações.

“Isto deve ser até a nível nacional. Isto desceu mais de cinquenta por cento, porque as consultas não se fazem, faz-se só hemodiálise e só mesmo os serviços que são obrigatórios”, explica o presidente da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Campo Maior, João Monho.

“Vamos passar dificuldades nos próximos tempos”, adianta Monho, que revela ainda que, e apesar das contas correntes “estarem em dia”, com os salários do mês assegurados, aos cerca de 15 funcionários, os Bombeiros de Campo Maior vão contar com a ajuda do município.

“Vamos ter de contar com o apoio do município, que já se mobilizou e tem sido incansável, mas temos, por enquanto, as contas em dia. Vamos ver o que o futuro dirá”, revela ainda.