Sousel quer médico para mais que baixas e receituário

sousel utentes serviços publicosA Comissão de Utentes dos Serviços Públicos de Sousel (CUSPS) vem apontar preocupações relativamente aos serviços de saúde prestados nas nossas freguesias e no concelho, numa carta dirigida, no passado dia 10, a seis entidades nacionais e regionais: Presidente da República, presidente da Assembleia da República, primeiro-ministro, ministra da Saúde, presidente do Conselho Diretivo da Administração Regional de Saúde do Alentejo e presidente do Conselho de Administração da Unidade Local de Saúde do Norte Alentejano.

Esta comissão de utentes afirma que “recentemente” foi confrontada “por diversos utentes”, que afirmam que “as suas consultas tinham sido desmarcadas e que o médico de família apenas tratava de questões relacionadas com baixas e receituário”.

A CUSPS considera “inaceitável a adoção, de forma unilateral, deste tipo de medidas, sem se vislumbrar, no imediato, razões para as mesmas e que, na prática, desprotegem, ainda mais, uma população débil em inúmeros aspetos nomeadamente, demográficos, económicos e de mobilidade”.

Este grupo souselense defende que “a pandemia causada pela Covid-19 não fez desaparecer todas as outras patologias, algumas crónicas, que afetam um grande número de pessoas, maioritariamente idosas” e que, por isso, “estas precisam de vigilância médica e de enfermagem constante, que vai muito para além do receituário”.

Esta Comissão de Utentes dos Serviços Públicos de Sousel afirma que “compete ainda aos serviços de saúde o acompanhamento do potencial de contágio e confinamento, não sendo admissível que as pessoas fiquem entregues à sua sorte até que haja um caso”.