Juventude Popular afirma que Bombeiros Voluntários correm risco de falência

Francisco MotaA Juventude Popular (JP) afirma que Bombeiros Voluntários correm risco de falência, devido aos efeitos da Pandemia do COVID-19.

Segundo Francisco Mota líder da Comissão Política Nacional da JP “as estruturas de socorro e emergência, em Portugal, há muito que vivem no limite das suas capacidades humanas, estando essencialmente assentes na solidariedade e no mecenato das comunidades, empresas e autarquias locais. Têm sido o espelho de uma sociedade que, apesar de ignorada pelo Estado central, não desiste.

Uma das principais fontes de receita das corporações não esta a realizar-se neste momento “Com a ausência dos transportes diários de doentes em circunstância não
urgente – refere Francisco Mota – os Bombeiros Voluntários vivem na iminência de entrar em incumprimento perante as obrigações, sem capacidade de liquidez e encaram um cenário onde o fecho de portas surge como hipótese.

A estrutura dos jovens populares solicita a intervenção do Estado, no auxilio dos soldados da paz portugueses, através da “criação de um Fundo de Resolução com a Liga dos
Bombeiros, no sentido de garantir que o Fundo de Resolução destinado para estes
casos dê respostas em tempo útil e de forma significativa”.