José Eduardo Gonçalves: “ajudem-nos a alimentar este povo”

jose_eduardo_tello_goncalvesOs efeitos e impactos da pandemia de covid-19 são transversais a todas as áreas da economia portuguesa. No caso de um setor imprescindível à sociedade – o da agricultura -, os pequenos e médios produtores enfrentam graves problemas para conseguir escoar os seus produtos, depois de encerrados restaurantes e mercados.

Contudo, e como explica o vice-presidente da Confederação dos Agricultores de Portugal, José Eduardo Gonçalves, a agricultura não pode parar, pelo que os agricultores estão a trabalhar seguindo todos cuidados exigidos pelas autoridades de saúde. “Há muita gente que está a fazer dois turnos, porque no caso de infeção de algum trabalhador agrícola, o outro turno nada tem a ver com este infetado. Esta fica em quarentena e, portanto, temos outro para substituir”, explica José Eduardo Gonçalves.

Os problemas nesta área, explica ainda, para além daqueles que estão relacionados com o escoamento de produtos, estende-se aos preços de mercado.

“O azeite é um dos setores que vai ficar bastante afetado. O vinho já está a sofrer uma crise enorme. O setor da carne, desde a vaca, à ovelha, à cabra e aos porcos, estamos a ter dificuldade no escoamento de produtos e na fase de descida de preços de mercado”, revela.

José Eduardo Gonçalves faz ainda um apelo à população para que ajude os agricultores e os produtores portugueses, comprando produtos nacionais. “Estamos dispostos a continuar o nosso trabalho e queremos continuar a alimentar a população portuguesa”, revela. “Ajudem-nos a poder a alimentar este povo, comprando produtos nacionais”, pede.