Alto Alentejo pede isolamento obrigatório

coronavirusOs municípios de Fronteira, Monforte, Arronches, Castelo de Vide,  Portalegre, Marvão e Avis pediram o isolamento obrigatório para todos os cidadãos que passem as fronteiras do distrito de Portalegre, por um período mínimo de 14 dias.

Considerando que a transmissão da doença COVID-19 ocorre principalmente por contacto próximo com pessoas infetadas, Fermelinda Carvalho, presidente da Câmara de Arronches, afirma que “a população neste território é muito envelhecida e onde existem muitas instituições, e neste momento temos assistido à presença de pessoas no concelho que não residem no mesmo. A presidente refere que esta situação já se verificou em Itália e Espanha, o que teve consequências gravíssimas, e o mesmo está a acontecer em Portugal e estão a chegar aos nossos concelhos pessoas que vêm das zonas mais afetadas do país, o que nos preocupa imenso”.

Após o decreto de Estado de Emergência em Portugal, onde foram limitadas as deslocações e desaconselhadas as visitas aos familiares no interior do país, “nós autarcas, eleitos para defender o nosso território, entendemos que as deslocações não devem acontecer e defendemos acima de tudo a população idosa que predomina nestes concelhos, porque se o vírus entra numa casa destas o que pode acontecer? Consideramos que as pessoas que entram neste território devem ser controladas, e devem ficar 14 dias em quarentena, e travar quem anda a passear”. Fermelinda acrescenta que os municípios “apenas querem salvaguardar os nossos cidadãos.”

A Carta foi enviada para a Coordenadora da Unidade de Saúde Pública da ULSNA, Margarida Silva, que a remeteu a entidades superiores. Fermelinda Carvalho espera que quando esta carta chegar a Lisboa que quem toma as decisões, “que decida a nosso favor e pela defesa deste território, na esperança que não seja necessária uma calamidade para que a medida seja tomada”.

No documento enviado pode ler-se “Os Presidentes das Câmaras Municipais subscritores rogam a V. Exa., nos termos do art. 30 no 1 al. b) do Decreto n.° 2 A/2020 de 20-03, se digne determinar, com caráter de urgência, a vigilância ativa aos residentes não habituais no nosso território que sejam provenientes do estrangeiro ou de zonas de contágio comunitário do nosso país, com a consequente imposição de confinamento obrigatório durante o período mínimo de 14 dias desde a sua chegada.”

De recordar que na Beira Interior, no distrito de Castelo Branco esta medida já foi implementada, ou seja, quem entra no distrito tem que ficar em isolamento domiciliário durante 14 dias.