Mocinha apela à “união dos elvenses” em dia do concelho

Mocinha Secretária de estadoEm dia da cidade, em que se celebram os 361 anos da Batalha das Linhas de Elvas, o presidente da Câmara, Nuno Mocinha, apela à união entre os elvenses, para que o concelho seja um “motivo de orgulho” para todos.

“Peço aos elvenses que se juntem, se unam e deem as mãos, numa tarefa de todos: fazer com que Elvas seja o nosso orgulho e por outro lado, conseguir que sejam cada vez menos os maldizentes das críticas destrutivas, que veem tudo errado à sua volta”, diz Mocinha.

Durante o seu discurso, o autarca lembrou o feito histórico de há 361 anos e a importância da Batalha das Linhas de Elvas para o país. Mocinha aproveitou ainda para lembrar que, em conjunto com os restantes elementos do executivo, procura ir sempre ao encontro das necessidades dos habitantes do concelho, lembrando que “a Câmara de Elvas não pode resolver os problemas de cada um”. O presidente da Câmara de Elvas lembra ainda que a limpeza do espaço público deve ser um aspeto a ter em atenção por todos aqueles que no concelho habita.

Mocinha relembra ainda os “projetos de grande importância a executar nos próximos meses”: continuar a construção do novo Ciclo de Santa Luzia; conclusão da obra do novo Museu de Arqueologia e Etnografia; iniciar a recuperação do Aqueduto da Amoreira; começar o processo da nova residência de estudantes da Escola Superior Agrária de Elvas, alargar o Centro de Dia da Boa Fé, com a construção de um lar no primeiro andar, requalificar os trinta fogos na Boa Fé, fazer a requalificação da zona industrial das Fontainhas, construção da nova sede dos Escuteiros e requalificação do cineteatro municipal de Elvas e da sede da Banda 14 de Janeiro.