Estatuto do Cuidador Informal no “Cuidar na Demência”

Rosalia GuerraPode estar para breve a criação do Estatuto do Cuidador Informal, depois de PS, BE e PCP terem chegado a acordo. Trata-se de um estatuto que estabelece os direitos e deveres de pessoas que cuidam de familiares dependentes, como idosos ou pessoas com demência.

A possibilidade de os cuidadores deixarem de trabalhar e poderem continuar a ter uma carreira contributiva, através do seguro social voluntário, é uma das medidas previstas neste acordo, avança Rosália Guerra, do Gabinete Alzheimer Maior, de Campo Maior. Outra questão importante diz respeito ao direito ao descanso dos cuidadores, através do apoio domiciliário. Para Rosália Guerra, é importante este estatuto tornar-se uma realidade, tendo em conta as dificuldades que enfrentam aqueles que cuidam.

Estima-se que, em Portugal, sejam 800 mil os cuidadores informais, sendo que entre os direitos introduzidos com este acordo estão ainda o consentimento da pessoa cuidada e capacitação dos cuidadores, que podem ter acesso a formações específicas.

O Estatuto do Cuidador Informal é o tema em destaque esta semana no programa “Cuidar na Demência”, com Rosália Guerra, do Gabinete Alzheimer Maior, de Campo Maior.