Intervenção não-farmacológica no Cuidar na Demência de hoje

Rosalia GuerraA intervenção não-farmacológica diz respeito a um conjunto de intervenções que visam maximizar o funcionamento cognitivo e o bem-estar da pessoa.

Rosália Guerra, do Gabinete Alzheimer Maior de Campo Maior, defende “a utilização de outras atividades que complementem a utilização de medicamentos”.

As atividades desenvolvidas têm como fim a estimulação das capacidades da pessoa, preservando, pelo maior período de tempo possível, a sua autonomia, conforto e dignidade.

A importância da intervenção não farmacológica na doença é o tema da edição desta semana do programa Cuidar na Demência.