Simulacro de acidente radiológico testa meios portugueses e espanhóis (c/fotos)

DSC_6541Um acidente à entrada de Badajoz, na rotunda junto à IFEBA e ao Centro Comercial El Faro, provocou na manhã de hoje, quinta-feira, dia 11, o derrame de materiais químicos.

Todos os meios foram acionados para o socorro às vítimas e para minorar os riscos que estas substâncias representam para a saúde humana.

As consequências de uma situação real poderiam ser bem perigosas, mas hoje tratou-se do primeiro simulacro de acidente radiológico transfronteiriço, no qual participaram de maneira coordenada os recursos espanhóis e portugueses em tempo real.

DSC_6607Yolanda García Seco, delegada do Governo na Estremadura, garante que houve “toda uma colaboração do Estado para a aplicação do Plano Especial frente a Riscos Radiológicos (RADIOCAEX) e o Plano Especial de Transporte de Mercadorias Perigosas e Ferrovia (TRANSCAEX)”.

Nieves Villar, diretora geral de emergências e Proteção Civil da Junta da Estremadura, explicou que “em causa estiveram materiais muito prejudiciais para a saúde e que o objetivo foi preparar as forças de socorro de toda a informação necessária para este tipo de ocorrência”.

O Comandante do Comando Distrital de Operações de Socorro de Portalegre, Rui Conchinha, considera que “a colaboração entre as entidades portuguesas e espanholas é uma mais-valia”.

DSC_6533

No simulacro de acidente estiveram envolvidos um autocarro de transporte de passageiros, um trator agrícola de matricula portuguesa com depósito de ácido nítrico, um veiculo pesado de transporte de ácido clorídrico, um ligeiro de passageiros e um de transporte de radio fármacos.

O simulacro foi organizado pela Direção de Emergências e Proteção Civil (112, Posto de Comando Avançado, Unidade de Proteção Civil e Academia de Segurança Pública da Extremadura) e a Direção Geral de Meio Ambiente (Radiologia Ambiental e Infoex).

DSC_6523

Participaram no simulacro cerca de 200 pessoas pertencentes à Delegação do Governo espanhol, Unidade Militar de Emergências (UME), Agência Estatal de Meteorologia, Polícia Nacional, Guarda Civil, Proteção Civil e de Emergências do Ministério do Interior de Espanha, entre outros.

Por parte de Portugal participaram a Agência Portuguesa de Ambiente, a Autoridade Nacional de Proteção Civil, bombeiros de Elvas, GNR (trânsito, NRBQ) e o Instituto Nacional de Emergências Médicas Português.