Fábricas de cigarros ilegais desmanteladas em Évora

7780368_770x433_acf_croppedA GNR desmantelou três fábricas artesanais de cigarros ilegais, em Évora, que terão originado uma fraude fiscal de quase um milhão de euros, apreendendo cigarros, tabaco e equipamento relacionado com a atividade.

Segundo a GNR, a produção era feita em garagens e depois era vendida ao público através de revendedorers.

As oito buscas domiciliárias foram feitas em armazéns, na sequência de uma investigação que decorria há cerca de quatro meses, tendo sido apreendidos 122.274 cigarros e 112 quilos de folha de tabaco de corte fino.

Foram ainda apreendidos 3.800 maços vazios destinados aos cigarros manufaturados, cinco máquinas trituração, quatro máquinas de entubar, entre outros materiais relacionados com a atividade.

Os quatro suspeitos que foram constituídos arguidos têm idades entre os 19 e os 53 anos e estão indiciados pela prática do crime de introdução fraudulenta no consumo, adiantou a GNR em comunicado, onde explica também que as folhas de tabaco  eram adquiridas em Espanha e, depois, submetidas a moagem artesanal, resultando o tabaco de corte fino que era inserido através de tubos para os cigarros.

Os cigarros eram, depois, comercializados na forma de maços em estabelecimentos de restauração e bebidas a consumidores finais, acrescentou.

A operação, que decorreu no passado fim de semana, foi realizada por militares do Destacamento de Ação Fiscal de Évora, sob direção do Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Évora.