Escolas assumem responsabilidade no cuidado nutricional

Bar Escola Sec Campo MaiorO Governo está a proibir a venda de salgados, doces, produtos de charcutaria e refrigerantes nas cafetarias das unidades de saúde.

O Médico Pintão Antunes, diz que a lei tem de ser bem interpretada, e que percebe estas proibições numa escola, porque tem de se educar as crianças.

José Emílio, director da escola Secundária de Campo Maior, refere que “não há tantas restrições no Ministério da Educação como se encontram no Ministério da Saúde, mas que cada vez mais se vão limitando estes artigos nocivos”.

Contudo José Emílio refere que também deve haver um cuidado em casa, pois há muitos alunos que trazem nas lancheiras alimentos com muitos açucares.

Apesar destas restrições e da mensagem nas aulas por uma alimentação mais saudável, alguns alunos consideram que há bolos a mais no bar.

Eduardo, de 15 anos afirma que no bar se encontram “demasiados doces e bolos no bar”. O aluno, indica que a escola devia procurar apresentar mais sandes.

Leonel costuma lanchar e tomar o pequeno almoço no bar, e refere que a escola “exagera um pouco nos doces”, contudo afirma que os alunos “têm livre arbítrio” para decidir o que escolher para comer.

Já Edgar Anjos, lembra que a Escola, “através das aulas ensina os alunos sobre o que comer e não comer”.

Esta guerra contra o açúcar já não é de agora. O Governo espera proibir a venda deste tipo de produtos em todos os refeitórios e espaços do estado.

Oiça as declarações nos noticiários