Azeite quase 30% mais caro

azeiteO Instituto Nacional de Estatística (INE) perspectiva que o azeite tenha, em 2017 um “aumento dos preços base” de 29,6% e acrescenta que é “expectável um decréscimo de produção em volume” de 9,3%.

Os dados, a 13 de Dezembro, nas Contas Económicas da Agricultura, incluem, neste caso, informação de duas campanhas oleícolas (a anterior, de 2016/2017 e a actual, de 2017/2018).

O gabinete estatístico explica, que, nesta categoria de produção vegetal, “na campanha actual, os olivais regados atingiram a maturação da maioria dos frutos, perspectivando-se uma produção elevada (aumento de 15%)”.

“Pelo contrário”, acrescenta o INE, “nos olivais de sequeiro, que abrangem uma área maior, a escassa precipitação de Setembro e Outubro, aliada às elevadas temperaturas, conduziu a uma produtividade inferior”, com queda precoce ou menor desenvolvimento dos frutos , e “afectou negativamente o teor em gordura das azeitonas”, erodindo o seu valor comercial.