Programas Operacionais do Portugal 2020 apresentados esta tarde

Alentejo20201Os diferentes programas operacionais do Portugal 2020, na Região Alentejo, foram esta tarde apresentados em Elvas. A decorrer em simultâneo, nos diferentes pavilhões do Centro de Negócios Transfronteiriço da cidade, as apresentações contemplaram os programas operacionais do Capital Humano (POCH), da Competitividade e Internacionalização (POCI), da Inclusão Social e Emprego (POISE) e da Sustentabilidade e Eficiência no Uso dos Recursos (POSEUR).

Nuno Mocinha, presidente da Câmara de Elvas, em jeito de balanço, diz-se “muito satisfeito” com o número de pessoas que se interessaram pelos programas operacionais e se fizeram deslocar à cidade para assistir às suas apresentações.

Alentejo20202“É-nos colocado um grande desafio: não faz sentido só ter o dinheiro, é preciso ter os projetos, apresentar as candidaturas e responder às necessidades locais, como é o caso da criação de emprego”, alega o autarca de Elvas, em relação aos programas operacionais do Portugal 2020. “O futuro a Deus pertence, mas devemos ter esperança no futuro”, remata.

O secretário de Estado da Administração Interna, João Pinho de Almeida, lembra que, no âmbito do Portugal 2020, o Programa Operacional da Sustentabilidade e Eficiência no Uso dos Recursos (POSEUR) concentra-se, entre outros, no combate a incêndios florestais. “Portugal ainda tem níveis de áreas ardidas superiores à média europeia e, por isso, concentrámo-nos num grande projeto, que é a aquisição de dois aviões para o combate aos incêndios”, assegura. O POSEUR tem ainda, por objetivo, “financiar projetos na área do ambiente, da energia e da prevenção e gestão de riscos”, adianta Helena Azevedo, responsável por este programa operacional.

Alentejo20203Na área da Saúde, o presidente da Administração Regional de Saúde do Alentejo, José Robalo, destaca, deste Portugal 2020, “uma série de oportunidades que têm a ver com investigação e consolidação de equipamentos”.

João Carlos Laranjo, diretor da Segurança Social no distrito de Portalegre, garante que, depois de apresentado o Portugal 2020, “cabe aos destinatários dos programas operacionais perceber onde é que se deve apostar”.

Para o presidente da Câmara de Estremoz, Luís Mourinha, à primeira vista, “o futuro pode prever-se mais fácil”. Para António Anselmo, Fermelinda Carvalho e Adelaide Teixeira, presidentes das câmaras de Borba, Arronches e Portalegre, respetivamente, o emprego continua a ser uma das principais preocupações. Pedro Murcela, presidente da Assembleia Municipal de Campo Maior, por sua vez, diz que é necessário “passar-se das palavras aos atos”.

Alentejo20204Roberto Grilo, da Comissão de Coordenação de Desenvolvimento Regional do Alentejo, acredita num “futuro mais risonho” para o país e, mais concretamente, para o Alentejo, tendo em conta aquilo que foi hoje apresentado, em Elvas.