Jerónimo Martins escolhe Portalegre para investir

Produo_leiteA Câmara Municipal de Portalegre, a Cooperativa Serraleite e o Grupo Jerónimo Martins formalizaram hoje os acordos que enquadram o investimento do Grupo neste distrito alentejano, que se prevê que possa atingir os 40 milhões de euros.

Partindo da parceria de negócio com a Serraleite que, ao longo dos últimos cinco anos, transformou esta Cooperativa em um dos seus principais fornecedores nacionais de leite, a Jerónimo Martins entendeu reforçar o seu compromisso com os produtores da região de Portalegre e contribuir diretamente para o desenvolvimento do sector e da economia da região.

Para a autarquia, “este acto reveste-se da maior e mais decisiva importância, em termos estratégicos e de futuro, para Portalegre – cidade, concelho e região – e até para o País; e é deveras gratificante constatar que o trabalho conjunto, desenvolvido pela Câmara, pela Serraleite e pelo Grupo Jerónimo Martins, deu já frutos, traduzidos na escolha de Portalegre para instalar o primeiro investimento do Grupo em termos desta sua nova aposta no sector agro-alimentar”, como explica a Presidente da Câmara Municipal de Portalegre, Adelaide Teixeira.

Segundo o Presidente do Conselho de Administração e Administrador-Delegado do Grupo Jerónimo Martins “este primeiro investimento no sector agro-industrial traduz o compromisso firme deste Grupo com os produtores nacionais, nomeadamente os da zona de influência de Portalegre, uma região que precisa claramente de investimento.”

O investimento será aplicado na construção de uma moderna unidade fabril de lacticínios no pólo industrial da Cidade, que irá garantir o escoamento da produção leiteira dos associados da Cooperativa e dará preferência à contratação dos actuais funcionários da Serraleite.

José Manuel Pinheiro, Presidente da Cooperativa Serraleite, considera que “este acordo tripartido, entre a Câmara Municipal, a Serraleite e o Grupo Jerónimo Martins, pode revelar-se bastante positivo, nomeadamente para os produtores de leite da região, e também para os actuais trabalhadores da Cooperativa Serraleite. O objectivo final, a médio prazo, e como a Serraleite sempre quis e tentou, é o de que no Norte do Alentejo se crie e consolide um ‘cluster’ ligado à actividade leiteira”.