“Ponto de Vista” com João Carlos Laranjo

JoaoCarlosLaranjo

Nenhum dos serviços locais da Segurança Social existentes no distrito de Portalegre vai fechar portas, como chegou a ser noticiado. A garantia é dada por João Carlos Laranjo (na foto), diretor da Segurança Social de Portalegre, convidado na edição desta semana do “Ponto de Vista”.

“Nenhum (serviço local) irá fechar porque nós percebemos o que estava em cima da mesa”, assegura João Carlos. “Nós temos serviços locais em todos os concelhos; aliás, em Ponte de Sor até temos um em Montargil, porque percebemos que havia essa necessidade”, acrescenta. “Se nos perguntarem ‘em termos financeiros, se é viável aquele equipamento?’, ‘se o número de pessoas que são atendidas faz sentido?’, eu costumo dizer que basta haver uma para fazer sentido”.

João Carlos Laranjo adianta que o número de serviços locais de Segurança Social no distrito aumentou, com a implementação em Sousel, Fronteira e Castelo de Vide. “Aproveitámos espaços que as câmaras tinham, sendo que os custos para a Segurança Social são quase zero”, explica. A Segurança Social nestes três concelhos “é quase uma Loja do Cidadão, mas com um formato diferente”.

Os restantes serviços locais do distrito vão ser requalificados. João Carlos Laranjo explica que esse “é um processo doloroso”, “mas que tem de ser feito”. “Vamos ver se o processo decorre dentro da normalidade e, sobretudo, com a maior transparência possível”. Ao todo, no distrito, “vão para requalificação 26 pessoas”.

Para além da requalificação dos serviços locais da Segurança Social de Portalegre, são assunto de conversa do “Ponto de Vista” desta semana as mais variadas respostas sociais existentes, como as cantinas sociais, as creches, jardins-de-infância e os lares.

Ouvir aqui “Ponto de Vista”