António Remudas no “Ponto de Vista”

RemudasA Associação Sindical dos Profissionais da policia (ASPPP) considera que a proposta para o aumento da idade da pré-reforma dos 55 para os 58 anos, é “inaceitável”.

António Remudas (na foto), dirigente nacional da ASPP, faz o ponto da situação relativamente ao envelhecimento dos comandos do interior do país, afirmando que “em Elvas há cinco agentes prontos para irem para aposentação e a nível do Comando devem ser há volta de dez elementos, sendo que não há previsão para os substituir. Os Comandos do interior do país, Portalegre, Évora, Beja e Castelo Branco estão a ficar velhos e envelhecidos”

 O agente da PSP ilustrou as dificuldades sentidas pelas agentes com mais idade em serviço de rua. “Se começarmos a tirar polícias das secretarias para patrulhar as ruas é uma mais valia, mas como vamos mandar um polícia de 55 anos a fazer face a um criminoso de 25? são meios desproporcionais.”

A Associação Sindical dos Profissionais de Polícia (ASPP/PSP) receia queo aumento da idade da pré-reforma crie “instabilidade” na corporação, “comprometendo a segurança” dos cidadãos.

O aumento da idade da pré-aposentação dos militares e das forças de segurança, dos 55 para os 58 anos, é uma das medidas propostas pelo Governo para reduzir a despesa pública.

António Remudas, dirigente nacional da ASPP ,é o convidado na edição desta semana do “Ponto de Vista” . Para ouviresta quinta-feira, dia 4, às 21 horas.