Ex-jogador Nuno Alves vai ser indemnizado por “O Elvas”

nuno_ciriloO Sindicato dos Jogadores Profissionais de Futebol anunciou hoje que Nuno Alves, ex-jogador de “O Elvas”, vai ser indemnizado em quase 28 mil euros na sequencia da sentença judicial, hoje divulgada pelo Tribunal da Relação de Lisboa.

Nuno Cirilo Simão Alves, que representou o clube entre novembro de 2005 e maio de 2006, conseguiu provar em Tribunal uma incapacidade permanente resultante de «um acidente de trabalho», quando fraturou a tíbia após um choque com um colega.

Nuno Alves como é conhecido no futebol, atualmente no Almada equipa onde joga há cinco temporadas, esteve uma época como centro-campista ao serviço de “O Elvas” na III Divisão.  

A alegada incapacidade permanente de Nuno Alves resultou de um acidente de trabalho em janeiro de 2006, quando fraturou a tíbia após um choque com um colega. Esta decisão judicial revela-se pouco comum, até porque no julgamento de primeira instância, o tribunal não deu razão ao atleta, por não se ter provado a existência de um vínculo laboral com o clube.

Já na Relação, o recurso veio agora a dar razão ao ex:jogador do clube azul e ouro, alterando a decisão, com baseando-se na definição do conceito de trabalho como sendo «aquele pelo qual uma pessoa se obriga, mediante retribuição, a prestar a sua atividade a outra ou outras pessoas, sob a autoridade e direção desta»

No acordão que poderá ser histórico para os clubes portugueses,  terá sido «provado que o jogador auferia, como contrapartida da atividade de jogador de futebol, a quantia de 800 euros mensais, entre 22 de novembro de 2005 até 31 de maio de 2006, alimentação e alojamento por conta do clube réu e ainda prémios de jogo, conforme declaração emitida pelo clube, ficando por conta do autor as despesas com água, luz e gás», pode ler-se no documento facultado pelo Sindicato dos Jogadores. 

A Direção de “O Elvas”, contatada pela Rádio Campo Maior para comentar o assunto, escusou-se a falar sobre o assunto, pois o presidente Joaquim Santo afirmou que “o caso está entregue ao advogado do clube”, não sendo oportuno abordar o tema.