Projeto de Investigação da ESTG-IPPortalegre premiado

salvadorA Escola Superior de Tecnologia e Gestão (ESTG) do Instituto Politécnico de Portalegre respondeu ao desafio colocado pela Associação Salvador com um projeto de investigação, uma parceria entre um aluno de Engenharia Informática e o Docente João Oliveira.

A Associação Salvador considera importante estimular o desenvolvimento científico na área da deficiência motora. Por esta razão promove o Prémio “Ser Capaz – Investigação e Tecnologia”, no valor de 10.000€, que visa premiar projetos que tenham como objetivo facilitar a vida das pessoas com deficiência motora.

A edição de 2012 do Prémio “Ser Capaz – Investigação e Tecnologia” tem o patrocínio da Abbott e do Banco Espírito Santo e conta ainda com o apoio da YDreams.

O período de candidaturas da edição de 2012 do Prémio encerrou a 15 de Novembro, tendo sido rececionadas 13 candidaturas válidas.

O júri desta edição, composto mais uma vez pelo Salvador Mendes de Almeida (Fundador e Presidente da Associação Salvador), pelo Professoir António Câmara (Presidente da YDreams) e pelo Profressor Fernando Lobo (Professor -DEEI-FCT- Universidade do Algarve), deliberou premiar ex aequo os seguintes projetos: Projeto “Cadeira de Rodas Elevatória” – 5.000 euros e o Projeto “Fisiosoft ” – 5.000€ de João Alberto Sanches Homem Tavares/João Fernando dos Santos Fradinho Duarte de Oliveira, Aluno e Docente da ESTG respetivamente.

Fisiosoft é um sistema informático interativo de fisioterapia de baixo custo em que pessoas com lesões a nível cognitivo e motor podem fazer exercícios a partir de casa ou num centro de saúde. O sistema usa marcadores circulares refletores que são colocados no corpo e identificados pelo software a partir de uma webcam. O terapeuta constrói exercícios de movimentos a base de sequências de círculos em que o paciente tem que centrar o marcador em cada círculo desenhado no ecrã. Permite registrar o tempo que o paciente demora a completar o exercício e aumentar o nível de dificuldade do mesmo mudando as dimensões do círculo de resposta que o sistema mostra quando está a reconhecer o marcador.

O projeto Fisiosoft foi criado após a identificação de lacunas existentes no sistema de reabilitação tradicional em que os utilizadores teriam gastos acrescidos aquando a necessidade de terapia face a lesões que sofreram. A distância que muitos deles tem de fazer para comparecer todos os dias em sessões de reabilitação e tempo de espera para a sua realização foram também aspetos que motivaram este trabalho.