Ensino Superior: escolas da região sobrevivem aos cortes orçamentais

Graa2As restrições orçamentais no ensino superior ainda não se fazem sentir nas escolas dependentes do Instituto Politécnico de Portalegre (IPP). Exemplo desta realidade é a Escola Superior Agrária de Elvas.  Graça Ribeiro, (na foto à esquerda) diretora daquele estabelecimento de ensino, garante que estão assegurados os mesmos postos de trabalho e até aumentou o número de formações para o próximo ano letivo.

A Escola Superior de Saúde, em Portalegre, está a funcionar “com o mínimo indispensável”, assegura Francisco Vidinha (na foto à direita), diretor do estabelecimento. Um racionamento económico que já vem de “há quatro anos a esta parte”.

A Escola Superior Agrária de Elvas (ESAE), neste ano letivo de 2012/2013, mantém o mesmo número de alunos, por via do regime de concursos especiais. Graça Ribeiro revelou-se satisfeita com esta realidade, tanto mais que se trata de uma escola localizada no interior do país.

Na Escola de Saúde, em Portalegre, todas as vagas foram preenchidas, como confirmou à nossa reportagem Francisco Vidinha.

Ouvir aqui a reportagem

Por sua vez, terminada a fase de candidaturas ao ensino superior e concursos especiais na Escola Superior de Tecnologia e Gestão de (ESTG) Portalegre, os resultados ficaram à quem das expectativas, segundo Artur Romão, diretor do estabelecimento de ensino superior.

Dois dos cursos de mestrado acreditados pela Agência de Avaliação e Acreditação do Ensino Superior estão ainda sem candidatos, pelo que as candidaturas vão decorrer até Janeiro.

Ao nivel das licenciaturas na ESTG, segundo Artur Romão, a área de Design continua a ser a mais procurada.