Campo Maior faz parte da candidatura do vinho de talha a Património da UNESCO

vinhotalhaCampo Maior faz parte da Candidatura do Vinho de Talha a Património Imaterial da Humanidade da UNESCO, juntamente com mais 19 municípios alentejanos e sete entidades.

Com o objetivo principal de preservar a produção artesanal de vinho de talha, os subscritores do protocolo vão elaborar e apresentar a proposta de inscrição da produção artesanal de vinho de talha no Inventário Nacional do Património Cultural Imaterial e, numa segunda fase a candidatura a Património da Humanidade junto da UNESCO.

Além de Campo Maior, a candidatura envolve os municípios de Aljustrel, Vidigueira, Almodôvar, Alvito, Beja, Cuba, Ferreira do Alentejo, Moura e Serpa, no distrito de Beja. No distrito de Évora fazem parte Borba, Estremoz, Évora, Mora, Mourão, Reguengos de Monsaraz e Viana do Alentejo. No distrito de Portalegre, estão envolvidos Arronches, Elvas e Marvão.

O Centro de Formação Profissional para o Artesanato e Património, a Comissão Vitivinícola Regional do Alentejo (CVRA), a Direção-Geral de Agricultura e Desenvolvimento Rural, a Direção Regional de Agricultura e Pescas do Alentejo, a Direção Regional de Cultura do Alentejo, a Entidade Regional de Turismo do Alentejo e Ribatejo e a Vitifrades – Associação de Desenvolvimento Local são as entidades envolvidas.