Mourato: “Ensino superior em Elvas não se pode esgotar na agricultura”

MouratoA direcção do instituto Politécnico de Portalegre (IPP) pretende implementar mudanças na Escola Superior Agrária de Elvas. As alterações passam pela abertura de novas ofertas formativas.

O objectivo é que a Agrária de Elvas consiga “sobreviver” à onda desfavorável que atinge actualmente os politécnicos.Este é um dos temas que Joaquim Mourato (na foto), presidente do IPP, vai levar à reunião do Conselho Geral daquele Instituto, que decorre na próxima semana.

“O que pode acontecer é que a Agrária de Elvas  possa sofrer uma transformação. Este estabelecimento deve ir muito além de uma Escola Superior Agrária. sempre defendi que Elvas precisava de mais ensino superior”.

“Nós temos de compreender que se o ensino superior português não estiver em Elvas estará na Estremadura. Precisamos de mais ofertas e, por conseguinte, mais alunos”, defendeu. Mourato sublinha que “o ensino superior em Elvas não se pode esgotar na área da agricultura. Temos de ter aqui as áreas da tecnologia, ciências socias e saúde”.

 Ouvir aqui Joaquim Mourato

Share on FacebookTweet about this on Twitter